CONFIRA QUEM JÁ MOROU EM REPÚBLICA

"Uma escola da vida. Aprendiz de revolucionário, estudioso na agronomia, futebol no pé, namorador das nativas, jogador de truco, na república da Poyoca em Piracicaba aprendi a viver de verdade. Morar numa turma de estudantes mistura tolerância, malandragem, organização, economia. Tempos inesquecíveis de formação da personalidade, da juventude rumo à cidadania. A vida em república acabou se tornando um traço da cultura esalqueana que vara gerações. Isso é importante, e muito legal. Novos tempos, liberdade na democracia, internet prá tudo, motel à vontade, mas continua o caixinha da república dando as mesmas confusões de há décadas!"

Xico Graziano (Xico Arara) (F-74)

Ex-Secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo - Piracicaba, São Paulo


"A vida em república é rica em aprendizado e para quem sabe separar o joio do trigo, traz tarefas importantes de casa para o "day after" no mercado de trabalho. A vida em república é rica em aprendizado. O tecido social reúne à convivência e a convivência a adaptação. Nenhum ser humano é uma ilha por inteiro, isolada. Ele convive com outras pessoas. Por sua vez, a conveniência mostra que você tem que se adaptar ao ambiente, pois se for individualista, arrogante ensimesmado é dispensado (consensualmente) e orientado a morar sozinho ou procurar um ambiente adequado aos seus costumes. Espírito de equipe (nem sempre agindo com discernimento), companheirismo e forte amizade são laços que se estreitam numa república."

Vavá- Prof. Dr. Evaristo Marzabal Neves (F-66)

Depto de Economia, Administração e Sociologia ESALQ-USP EX-Diretor da ESALQ - Piracicaba, São Paulo


"Vindo de Franca, ao entrar no curso de Engenharia Florestal da ESALQ, em 1978, passei também a residir na tradicional República Fazendinha, em um total de 12 moradores. Foram 4 anos de intensa convivência, que contribuíram sobremaneira com o meu processo de amadurecimento e me proporcionaram excelentes amizades que perduram até hoje."

Prof. Fernando Seixas (F-81)

Ex-Aluno e Ex-Prefeito da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” Gestão: 2015-2018 - Piracicaba, São Paulo


"A grande maioria dos jovens aprovados no vestibular, que vêm de fora, está saindo de casa pela primeira vez. Saindo de suas casas onde, em geral, existem padrões de disciplina definidos pelos pais, caem em um ambiente de gente estranha, no qual as regras são definidas pelos próprios estudantes, de acordo com a sua diversidade. E ai começa a magia de república. Ai se encontram pessoas das mais diversas regiões do país, de etnias e outras culturas dispares, níveis sócias distintos e diferentes padrões de educação. Tudo isso coloca juntos jovens com as mais variadas visões da vida; por conseguinte, sonhos e compromissos são muitas vezes conflitantes. No balanço dos conflitos, moças e rapazes vão esculpindo seus caracteres. A república, enfim, apura a massa de DNA de cada um. Nela aprende a defender-se dos malandros e das injustiças. Aprende a conhecer as pessoas, valorizar suas qualidades fugir de seus defeitos; a confiar e desconfiar, a renunciar e exigir; a negociar; a respeitar e ser respeitado; a consertar e organizar; a fazer fluxo de caixa. Na aparente desordem da vida em república, determinada por essa mesma diversidade entre seus moradores, e mais as especificidades de seus horários, gosto e prazeres, se criam normas de convivência que servirão para o resto da vida. A república é a síntese da liberdade com responsabilidade. O jovem que ai chega se deslumbra com a liberdade, longe do controle paterno, e aprende a usá-las. Descobre muitas vezes o sexo, a bebida, o jogo e a forma de controlar seu próprio dinheiro. Correndo todos os riscos que tais novidades oferecem, aprende a usar a enfrentar as paixões, a administrar o amor e o ódio; aprende a tolerar, enfrenta mentira, a maldade, sofre com a segregação e valoriza a lealdade, a sinceridade, o idealismo. Aí tudo se discute, as ideologias se entrechocam, lagrimas se derramam, adapta-se a tudo. Quem passou pela república está pronto para viver em sociedade: escola da vida. Microcosmo."

Engº Agrônomo Roberto Rodrigues Ex-Aluno da ESALQ (F-65)

Ex-Ministro da Agricultura - Piracicaba, São Paulo


"Esse modelo de associação de pessoas procura desenvolver e defender lógicas com pontos de vista sobre muitos temas contemporâneos que permeiam a sociedade. Nesse sentido, os integrantes naturalmente divergem entre si mesmos e com os das outras repúblicas e de outras formas de moradia, mas é evidente que essa agremiação funciona como núcleo de estímulo à capacidade analítica e de argumentação."

Prof. Luiz Gustavo Nussio (F-87)

Ex-Aluno e Ex-Diretor da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” Gestão: 2015-2018 - Piracicaba, São Paulo


"Nessa fase da vida em que há necessidade de auto-afirmação, a possibilidade de passar a andar com as "próprias pernas", sem ter os pais a acompanharem os seus passos (a tão sonhada independência) é de suma importância para os jovens estudantes."

Prof. Dr. José Roberto Postali Parra

Ex-Aluno e Ex-Diretor da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” Gestão: 2003-2006 - Piracicaba, São Paulo