Cupido 1970

Cupido 1970

Siga a república Cupido 1970

Cupido 1970

Em 1970 quando mulheres não tinham seu lugar ao sol, esquentavam a barriga no fogão e esfriavam no tanque, mulheres brilhantes que cursavam economia doméstica resolveram se rebelar contra o sistema, formando a república Cupido, a república feminina mais antiga do Brasil. Com 49 anos de história, a república preza pelo respeito, diversidade e companheirismo. As atuais moradoras representadas por:
Goretti: “AAAAAAAAAAAAAAAA“ . Amante de insetos e de masterchef, com clássico vício por séries. Tem remorso pelo sedentarismo associado ao Uber, e em raríssimas vezes utiliza o aplicativo. Faz pequenas e frequentes apresentações de ópera.
Femili: “ou, sério, tô precisando perder uns kilos”...alguns segundos depois já comeu um pacote de pipoca, umas comidas estranhas e outras que provavelmente seriam julgadas pela Goretti. Tem uma incrível habilidade para tomar banhos tipo Fórmula 1. Acorda já dando risada (estranha, por sinal), provavelmente do mundo paralelo criado na cabeça. Não consegue viver sem sua fiel bicicleta; tem um cheiro de bambu e nos horários que não são consumidos pelo PACES gosta de frequentar a Atlética.
 
Moradores:
Foi-Ela: ‘’ Você não quer entrar na TOBALQ??? ‘’ . A social da casa, ela é do tipo que se vê um velhinho sentado na rua puxa e um papo de horas. Não gosta de mimimi, sem se fazer de dificil com ela, pessu.
Kúzovo: “ Meu aniversário é salada de frutas  “ Faz promessas semestrais para não tomar paus. Vive numa brisa eterna e tem um amor descomunal por leite ninho e açaí. Frequentadora oficial dos rodízios japas da cidade.
V-nixi: “Eu compraria Marte porque daqui a pouco vai ter vida lá, eu vou poder cobrar IPTU” enquanto responde um teste do BuzzFeed. Uma excelente contorcionista e mestre cuca de comidas peculiares, que ela jura serem comuns no Paraná. Fonte inesgotável de leite condensado e chocolate, apreciadora de coffebreaks quando estuda com seus colegas durante a madrugada. Google humano.
Poliglóta: “eu goxto de quem goxta do que eu goxto” é o lema da nossa dj carioca capaz de escutar mais de 39 *mil* minutos (o equivalente a mais de 27 dias seguidos) de funks estranhos do seu país Rio de Janeiro, dormir por mais de “douze” horas seguidas num dia e, ainda assim, ter fortes hábitos noturnos, mas maior que o vício em música só mesmo a carência por amor e atenção dessa nossa pequena vegetariana.
Brunélli: “chera minha mão!!! Eu juro que tá cherando leitinho“ . Eis o nosso prodígio musical, ela toca piano, viola, flauta, tambor, canta e ainda estuda violão. É amante assídua de cavalos. Além de ser formada numa das melhores escolas de dramaturgia. Não curte queijos. Provém da grande metrópole de  Araçatuba , ou, também conhecida por AraçaHell, mais quente que Piracicaba, fato que explica o porquê ela anda de casaco num sol de 30°C.
Kizi: Come papinha. Sem comentários. P.S. Não subestime o sabor do strogonofinho.
Shio san: “ Não entendi, desculpa”. A japa real oficial da casa. Amante de cafés e dá uma de esquisita que toma café as 22h da noite. Só usa roupa fita, e é um neymar do softbol.